O que é container e como contratar esse meio de transporte?

22 de abril de 2024 | Logística

Segundo a Infra News Telecom, 85% das empresas usarão containers na produção até 2025, contra 35% em 2019. Dito isso, vemos que a utilização de containers se tornou imprescindível no mundo em que vivemos hoje. Mas afinal, o que é container?

Também conhecido como contentor, é um recipiente de metal padronizado utilizado para o transporte de cargas em diversas modalidades:

  • Marítimo: Empilhados em navios porta-contêineres, ideal para grandes volumes e longas distâncias.
  • Rodoviário: Transportados por caminhões, viabiliza entregas em áreas sem acesso marítimo.
  • Ferroviário: Permite o transporte intermodal, combinando diferentes modalidades.
  • Aéreo: Utilizado para cargas urgentes ou de alto valor, em aviões cargueiros.

E também, nos últimos anos, o uso de containers deixou de ser implementado apenas no transporte de cargas e foi adaptado para unidades habitacionais, com isso, se tornou uma tendência marcante no mercado da construção.

Essa mudança é impulsionada pela crescente busca pelo desenvolvimento sustentável, especialmente na construção civil, uma das áreas com maior impacto ambiental.

Porém, focaremos no uso do container no transporte de cargas, continue a leitura para saber mais sobre essa alternativa!

O que é container e quais são seus tipos?

Como já dito, o container é uma caixa grande metálica que pode ser utilizada tanto no transporte de cargas, como em construções civis.

Os containers existem em diversos tamanhos e tipos, cada um com características específicas para diferentes tipos de carga.

Veja abaixo alguns tipos de containers:

  • Dry Box: O tipo mais comum, utilizado para cargas gerais como móveis, roupas e alimentos. Esse container tem 20 pés de comprimento e capacidade para 28 metros cúbicos.
  • High Cube: Um container mais alto que o Dry Box padrão, com 40 pés de comprimento e capacidade para 68 metros cúbicos.
  • Open Top: Possui teto aberto para facilitar o carregamento e descarregamento de cargas volumosas e tem capacidade para 76 metros cúbicos.
  • Flat Rack: Sem paredes laterais, ideal para cargas que excedem as dimensões do container. Capacidade para 47 metros cúbicos
  • Reefer Container: É equipado com sistema de refrigeração para manter a temperatura da carga. Ele tem capacidade para 26 metros cúbicos.
  • Tanque: Projetado para o transporte de líquidos e gases.

Exemplos de cargas que podem ser transportadas em containers:

  • Alimentos, perecíveis e não perecíveis;
  • Aço e ferro em geral;
  • Roupas;
  • Autopeças;
  • Materiais eletro-eletrônicos;
  • Móveis;
  • Produtos químicos, ou seja, cargas perigosas (IMO);
  • Fertilizantes;
  • Medicamentos;
  • Equipamentos para energia solar;
  • Maquinário e equipamentos pesados.

Benefícios de utilizar containers:

Adotar esse método possibilita o envio de grandes volumes de carga de uma só vez, o que resulta na redução do número de viagens e, consequentemente, dos custos operacionais.

Desta forma, potencializando o custo benefício deste meio. Veja mais alguns a seguir:

  • Segurança: Protegem a carga contra intempéries, roubos e avarias.
  • Eficiência: Agilizam o processo de carga e descarga.
  • Rastreabilidade: Permitem o rastreamento da carga em tempo real.
  • Custo-benefício: Reduzem custos com embalagem e armazenamento.
  • Flexibilidade: Permitem o transporte multimodal.

Vale ressaltar que o container é considerado parte integrante do veículo transportador, o que lhe confere privilégios fiscais e vantagens exclusivas, contribuindo para a redução dos custos totais de transporte.

História do container: como surgiu?

Tudo começou quando os comerciantes encontravam sérios problemas no armazenamento de mercadorias, pois em cada viagem realizada contava com quebras, deterioração dos recipientes, ou até mesmo a perda da mercadoria e isso tudo gerava prejuízo nas transações, sem considerar as condições climáticas e o tempo que cada viagem levava.

Foi quando no anos 50, o jovem americano Malcom McLean, motorista e dono de uma pequena empresa chamada Sea Land Service, ao observar o lento embarque de fardos de algodão no porto de Nova Iorque, teve a ideia de armazená-los e transportá-los em grandes caixas de aço que pudessem, elas próprias, serem embarcadas nos navios.

Estabeleceu as seguintes dimensões para sua embalagem: 35x8x8 ½ pés. McLean havia mostrado ao mundo o primeiro contêiner.

Leia também: O que é pré-stacking na logística?

Legislação para uso de containers

Legislação para uso de containers

A legislação brasileira sobre o uso e transporte de containers em diferentes aplicações ainda está em desenvolvimento, com diversas leis e normas que se aplicam de acordo com o uso específico.

Abaixo, um resumo das principais regulamentações:

1. Legislação sobre o transporte de Cargas:

  • Resolução Normativa ANTT nº 523/2015: Estabelece os requisitos para o transporte de cargas em containers no Brasil.
  • Código Brasileiro de Trânsito (CBT): Regulamenta o transporte de containers em vias públicas, que pode ser encontrado no Art. 98, Art. 101, Art. 104, etc.
  • Normas da ABNT: Diversas normas da ABNT definem as características técnicas para containers utilizados no transporte de cargas, como a NBR 7508, NBR 15575, NBR ISO 6346 e a NBR 16270.

2. Legislação sobre o armazenamento:

  • Norma Regulamentadora nº 33 (NR-33): Estabelece os requisitos de segurança e saúde no trabalho para espaços confinados, incluindo containers utilizados para armazenamento.
  • Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico (CBSC): Define as medidas de segurança contra incêndio para containers utilizados para armazenamento, que podem ser encontradas no Art. 14º,
  • Normas da ABNT: Diversas normas da ABNT definem as características técnicas para containers utilizados para armazenamento, como a NBR 15575-2 que especifica as características técnicas para containers intermodais de carga seca utilizados para armazenamento.

Risco na movimentação de containers

Os perigos associados à movimentação de containers podem ser classificados em três categorias principais:

  • Riscos físicos: como queda de containers durante carga e descarga, içamento, movimentação por empilhadeiras ou guindastes. Estes riscos são ampliados por falhas humanas, mecânicas ou condições climáticas adversas.
  • Riscos químicos: compreendem a exposição a gases e produtos químicos perigosos transportados pelos containers, como gases tóxicos, inflamáveis ou corrosivos, que podem vazar durante a movimentação, resultando em incêndios ou explosões.
  • Riscos biológicos: envolve a proliferação de microrganismos provenientes de cargas perecíveis em containers mal conservados, favorecendo a propagação de fungos e bactérias, potencialmente causando doenças.

Por isso é importante contratar uma transportadora de cargas especializada em carregamento de containers para realizar o transporte de forma segura. Confira abaixo algumas dicas!

Como contratar uma transportadora de containers?

Como contratar uma transportadora de containers?

A contratação de transportadoras de containers tem ajudado na economia global, por conta da movimentação de mercadorias e encomendas entre diferentes países e regiões. Como visto anteriormente, há várias vantagens na utilização desse meio, sendo a principal delas a segurança.

Graças aos materiais resistentes com os quais são construídos, os contêineres oferecem um elevado nível de proteção às mercadorias, reduzindo os riscos de danos durante o transporte.

Além disso, os caminhões que transportam containers enfrentam menos riscos de assaltos (risco, infelizmente, muito comum no Brasil) devido à sua robustez e dificuldade de acesso.

É importante destacar ainda que ao utilizar o transporte em regime DTA (Despacho de Trânsito Aduaneiro), é possível acelerar os processos de liberação dos produtos, otimizando a logística.

Dito isso, segue algumas dicas de como contratar uma transportadora de containers

1. Definir suas necessidades:

  • Tipo de carga: Determine o tipo de carga que será transportada (geral, refrigerada, perigosa, etc.).
  • Tamanho do container: Escolha o tamanho do container que melhor se adapta ao volume da sua carga (20’, 40’, etc.).
  • Origem e destino: Informe a origem e o destino da carga, incluindo os endereços completos e os contatos das pessoas responsáveis.
  • Data de embarque: Determine a data desejada para o embarque da carga.

2. Pesquisar empresas:

  • Consulte sites especializados: Utilize sites de busca e plataformas online para encontrar empresas de transporte de containers.
  • Peça indicações: Solicite indicações de empresas a amigos, familiares ou colegas de trabalho que já tenham utilizado esse tipo de serviço.
  • Verifique a reputação das empresas: Pesquise a reputação das empresas em sites de reclamações e avaliações online.

3. Solicitar orçamentos:

  • Contate as empresas: Entre em contato com as empresas selecionadas e solicite orçamentos detalhados.
  • Compare os preços: Compare os preços dos diferentes orçamentos e de frete para container, considerando os serviços inclusos e as condições de pagamento.
  • Negocie o valor: Negocie o valor do frete e outros serviços, como seguro da carga e embalagem.

4. Escolher a transportadora:

  • Considere os fatores relevantes: Além do preço, leve em consideração a experiência da empresa, a qualidade dos serviços prestados, a reputação no mercado e a disponibilidade de datas para o transporte.
  • Verifique a documentação: Certifique-se de que a empresa possui toda a documentação necessária para o transporte da carga, como licenças e autorizações.

 

Agora que você já sabe o que é container e como contratar uma transportadora de cargas, entre em contato com a gente da Decklog, conheça nossos serviços e faça seu orçamento!